Compartilhe

Contratos inteligentes

30 de agosto de 2022 20:54
contratos inteligentes.jpg

Compartilhe:

O que são contratos inteligentes? Saiba porque eles são o futuro das negociações descentralizadas


Conforme o mundo digital segue em direção a processos automatizados, tarefas que até pouco tempo atrás eram manuais, vêm sendo completamente modificadas e incorporadas à tecnologias modernas. 


Este é um possível futuro que aguarda alguns dos contratos, os quais podem ser substituídos por contratos inteligentes, ou Smart Contracts, dentro de uma rede Blockchain.


Um contrato inteligente é um acordo escrito sob a forma de um programa de computador. 

Os quais são executados automaticamente assim que as obrigações pré-estabelecidas em seus termos são cumpridas. 


Quer saber mais sobre este tipo de contrato e como ele pode melhorar as transações entre as partes?

Continue a leitura deste artigo e confira:

  • O que são Smart Contracts/Contratos Inteligentes?
  • Qual objetivo dos contratos inteligentes?
  • Como funcionam os contratos inteligentes?
  • Contratos de papel X contratos inteligentes
  • 4 formas de utilizar os contratos inteligentes


O que são Smart Contracts/Contratos inteligentes?

Os contratos inteligentes são um tipo de contrato digital estabelecido e programado sob a forma de um código computacional em uma rede Blockchain. 

Como vimos, eles possuem termos referentes a uma negociação entre partes, que uma vez cumpridas, são executados automaticamente, sem a necessidade de um terceiro, pelo sistema da Blockchain.


A qual usa sua rede de sistemas descentralizados e distribuídos para armazenar e executar o código escrito nos contratos.

Qual objetivo dos contratos inteligentes?

Esse tipo de acordo digital foi fruto da mente do jurista e criptógrafo, Nick Szabo, no ano de 1994. Segundo ele, estes contratos são promessas virtuais com protocolos associados programados para cumpri-los. 


Um conceito muito similar ao criado por Satoshi Nakamoto em 2008, para a Blockchain do Bitcoin, onde é registrado o pagamento assim que ele é realizado. 


Porém, Szabo diz que os contratos inteligentes foram projetados para ir um pouco mais além. 

Eles visam satisfazer os termos comuns de um contrato como forma pagamento, confidencialidade, obrigações e ônus. 


Enquanto isso, eles reduzem as chances de ataques maliciosos de terceiros, burocracia e falhas na execução. 

Porém, o ponto principal é a independência da ajuda de alguém, como uma instituição bancária, para intermediar a negociação.


Além disso, seguindo essa mesma linha, os contratos inteligentes melhoram as relações econômicas usando a criptografia e as vantagens da rede Blockchain para minimizar os riscos de perdas monetárias causadas por fraudes.


Nas palavras de Szabo: “dessa forma os contratos inteligentes acabam sendo o pilar de uma economia de livre mercado”.


Como funcionam os contratos inteligentes?

Os contratos inteligentes são criados e programados nas plataformas com dados e medidas de segurança. 

Em seguida, eles são disponibilizados e criptografados em uma rede blockchain e ficam aguardando até seus termos serem cumpridos. 


Logo, quando isso ocorre, os contratos inteligentes executam o acordo conforme as diretrizes programadas e as transações são registradas em um bloco da rede Blockchain, sendo selados com um código criptográfico Hash próprio, e o de outros blocos anteriores na rede.


Ademais, ao serem registrados na rede, os contratos se tornam imutáveis e jamais poderão ser modificados. 

Graças aos códigos Hashs em seu bloco, ele possui um alto nível de segurança. 


Diante disso, um Cracker ou outro usuário malicioso vai precisar resolver vários códigos em sequência cronológica, uma vez para cada bloco, só para ter acesso a um deles. 


E isso vai exigir muito tempo e poder computacional para resolver cada equação!

Contratos de papel X Contratos inteligentes

Tanto os contratos inteligentes como os contratos de papel precisam ser registrados e executados para terem algum peso na relação. 

Porém, o que os difere é o ambiente em que são criados e a forma de execução. 


Para fins de comparação, os contratos tradicionais feitos em papel:

  • É a forma mais tradicional de fazer acordos;
  • Levam horas de pesquisa e análise para serem elaborados;
  • São mais simples de apresentar como prova em âmbito judicial ou anexar em um processo;
  • Gera despesas com papel, tinta para imprimir, transporte e pode ter taxas;
  • Não depende de meios digitais para acessar seu conteúdo. Contudo, precisa ser bem armazenado para poder ser encontrado com maior facilidade em um momento póstumo;
  • Burocracias.

Por outro lado, os contratos digitais proporcionam mais agilidade nos processos de uma empresa e também na rotina pessoal. 

E ainda te ajuda a economizar com a papelada. Suas principais características são:

  • O contrato é criado na rede Blockchain, assinado nela e armazenado em um dos seus blocos. Só isso poupa aquelas horas de trabalho e reduz os procedimentos de pré-assinatura e execução  A execução e criação dos contratos inteligentes é feita com base em um protocolo computacional seguro que dispensa ações manuais;
  • Não necessita de um terceiro ou agência reguladora, sendo capaz de ser validado e finalizado sozinho assim que os termos são satisfeitos. O que torna a performance mais eficiente se comparada a dos contratos tradicionais;
  • Os contratos seguem uma programação capaz de ser reproduzida e modificada em larga escala;
  • As Blockchains são muito transparentes quanto às negociações dentro da rede. Elas disponibilizam dados das transações de forma pública. O que os torna auditáveis e gera confiança em investidores e acionistas;
  • Todas as execuções dos contratos são gravadas permanentemente nos blocos da rede Blockchain e protegidas por um código criptográfico chamado Hash. Este fato somado a transparência, permite verificar o histórico das transações, onde foram realizadas e onde os dados estão;
  • Apesar dos dados serem públicos, a identidade das partes permanece anônima e as informações em cada bloco/nó da rede não podem ser modificadas ou deletadas. Pois, elas são imutáveis e criptografadas conforme a arquitetura da rede Blockchain específica;
  • Contratos inteligentes eliminam a burocracia e a necessidade de intermediários que cobrem taxas sobre os seus serviços;
  • Total independência de uma autoridade reguladora central, sistema legal ou qualquer outro mecanismo de coerção externo. Todavia, isso não quer dizer que seus dados não possam ser utilizados em um processo judicial. Já que os contratos inteligentes podem ajudar a indicar os procedimentos legais nos processos automatizados.

Desvantagens dos contratos Inteligentes

Quem dera toda tecnologia fosse isenta de erros. 

Apesar das várias vantagens apontadas acima, os contratos inteligentes fazem parte de uma tecnologia relativamente nova e que ainda tem muito chão pela frente para ser aprimorada. 


O lado bom das desvantagens, é que os desenvolvedores podem aprender com seus erros e fazer algo melhor. Porém, até lá os Smart Contracts:


  • Precisam ser escritos por pessoas, neste caso programadores, por isso tem a mesma chance de incorrer em erros, tanto quanto um tradicional;
  • O uso incorreto da linguagem de programação pode gerar erros na hora de produzir os contratos, gerando prejuízo às partes;
  • Não há legislação específica alguma para estes e outras tecnologias relacionadas ao Blockchain e criptoativos.
  • Os contratos inteligentes auxiliam na redução de custos. Por outro lado, geram custos de implementação, adaptação e organização de uma equipe qualificada com bons salários. Porém, se você recrutar e gerir bem seu time, o retorno pode ser bem maior do que o esperado.

4 formas de utilizar os contratos inteligentes

Os contratos inteligentes podem ser inseridos em diversos nichos comerciais de qualquer indústria. 

Isto é, naquelas onde as criptomoedas são a forma principal para negociação. Como, por exemplo:

  1. Cadeias de suprimentos (Supply chains) e logística - Os contratos podem automatizar e simplificar o processo de movimento e gerências de bens;
  2. Relações com vendedores e compradores – Tornando mais ágeis a conclusão das relações comerciais entre as partes;
  3. Setor financeiro – Existem diversas Defis que usam contratos inteligentes para liberar fundos ou pagamentos baseados em termos, condições ou penalidades financeiras por determinados eventos, ações ou resultados que podem ser inseridos neles;
  4. Mercado imobiliário e outros bens – Usados para comprar e registrar imóveis, executar hipotecas com as Defis e adquirir bens com menores taxas e mais segurança.


Quais os riscos de utilizar os contratos inteligentes?

Há várias empresas e pessoas físicas que colhem benefícios de ter um software realizando algumas ações pré-definidas automaticamente.


Como o bancário, que pode poupar bilhões ao ano investindo em uma rede Blockchain. E, como já vimos, ele não é o único!


Entretanto, apesar do potencial dos contratos inteligentes, essa tecnologia ainda é vista com certa suspeita por conta das desvantagens mencionadas anteriormente.


Principalmente pelo fator humano na criação dos códigos dos contratos, e a capacidade de encontrar brechas exploráveis para cometer ilícitos.


Ou seja, nenhum contrato é “100% à prova de balas”! O cenário das blockchains ainda é muito imaturo, de forma que qualquer empresa usando contratos inteligentes vai continuar exposta a ataques.


Porém, se trata de uma natureza que nem todas estão aptas, ou possuem instrução necessária, para lidar. Confira um exemplo de risco de segurança nos contratos inteligentes: 


Segundo dados da Coindesk e Coingecko, um determinado protocolo de finanças descentralizadas (Defi) na rede Ethereum, chamado Harvest Finance, sofreu um ataque por meio de pontos fracos em seu código. 


Isso levou os investidores a perder cerca de US$ 24 milhões em stablecoins de uma só vez.


Além disso, como os contratos inteligentes se tornam imutáveis após serem implementados na rede Blockchain. Logo, diferente de um contrato tradicional, não é possível modificar os termos dos contratos inteligentes.


Isto é, se conseguir perceber que eles estão acontecendo em primeiro lugar, já que alguns erros podem ficar ocultos a quem não é versado na área.


Quaisquer bugs e defeitos durante sua concepção podem prejudicar a negociação ou dar margem para um cibercriminoso atacar através de um ponto fraco na linha de código com erros. 
Veja um caso de exemplo:


Em 2016, um Cracker achou um bug em um contrato inteligente na Genesis DAO - uma organização autônoma descentralizada da rede Ethereum. O qual permitia a alguém pedir fundos várias vezes do caixa antes do contrato registrar e atualizar os valores totais da DAO.


Assim, como as regras deste tipo de organização são ditadas pelos contratos inteligentes, o cibercriminoso limpou milhões de dólares de Ether dos membros da DAO.

Os contratos inteligentes são nosso futuro?


Apesar de ser uma tecnologia muito nova, os contratos inteligentes e as redes Blockchain vem caminhando em um crescimento exponencial em direção ao futuro. 


Eles podem até ter riscos, mas, ao parar para analisar, eles possuem mais vantagens para seus usuários do que falhas. E estas podem ser corrigidas com o tempo.


O que pode ser feito para contornar os riscos é, primeiramente, estabelecer contratos inteligentes que possam ser atualizados. 


Em segundo lugar, as empresas precisam de sistemas que possam validar os contratos inteligentes, garantindo que não haja brechas no código. 


Por fim, é possível buscar Blo

ckchains, DAO ou Defis que tenham em contratos escritos formas de compensar o usuário em caso de uma falha no código dos contratos inteligentes, que acabe por gerar perdas financeiras.

Leia também:

FAQ

Qual objetivo dos smart contracts?


Tornar possível a negociação de criptoativos entre duas pessoas ou empresas desconhecidas. De forma automática, rápida, descentralizada e, graças aos protocolos da Blockchain, segura para comprador e vendedor.

Quais são as vantagens e desvantagens dos contratos inteligentes?


Contratos inteligentes estão disponíveis 24 horas por dia na rede Blockchain, tornam as transações mais seguras, garantem que ambas as partes vão receber o que acordaram, além de dispensar a mediação de um terceiro e burocracias.


Todavia, os contratos inteligentes não podem ser alterados assim que são inseridos na rede, estão suscetíveis à falhas de programação e geram muitos custos de implantação com programadores experientes.

Qual a forma de execução que diferencia os contratos tradicionais dos inteligentes?

Os contratos inteligentes possuem uma série de termos programados via computador, que, ao serem cumpridos, executam o contrato automaticamente.

Qual a vantagem dos contratos inteligentes sobre os contratos tradicionais em papel?

A princípio, o usuário não precisa passar pela burocracia judiciária e pode comprar e vender criptomoedas com menos, e em alguns casos, nenhum gasto adicional.

Fora, que são mais simples de se armazenar e possuem um nível de segurança muito maior do que os tradicionais.

Contratos de papel levam horas de pesquisa e análise para serem feitos, geram despesas com impressão, ocupam espaço físico e demoram para ser executados.

122268308_1001105267030152_928890732363036411_n.jpg

Tatyana Oliveira

Admiradora do mundo de tecnologia, metaverso e criptomoedas. Empreendedora digital, atualmente atua como gerente de conteúdo no Disruptive Verse e em outros projetos.

Posts recentes

Outras postagens

Logo DisruptiveVerse
Blog
ExchangeBlockchainNFTMetaversoRealidade virtualRealidade aumentada
Sobre

DisruptiveVerse.com é um site de conteúdos e notícias voltado para tudo que é disruptivo e inovador. Somos independentes de instituições financeiras ou qualquer outra empresa e ganhamos dinheiro quando você clica em um link ou algum anúncio postado nesse site.Não recomendamos ou indicamos a compra de nenhum produto, serviço, ativo financeiro, criptomoedas ou qualquer outra coisa. "Não nos responsabilizamos por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes."

© 2022 Disruptive Verse. Todos os direitos reservados.