Compartilhe

Criptografia: o que é, tipos e importância!

10 de agosto de 2022 21:20
criptografia.jpg

Compartilhe:

Criptografia: o que é, tipos e importância!

A criptografia segue um princípio básico: garantir que duas ou mais pessoas troquem informações entre si, de forma secreta, e sem que terceiros participem dessa interação.

Não é à toa que o WhatsApp, o Gmail e diversos sites utilizam de mecanismos criptografados para manter seus usuários protegidos e sigilosos. Até mesmo Júlio César (100-44 a. C), imperador romano, utilizava da comunicação criptografada.

Considerando que esse tema é muito importante e relevante para o dia a dia de muitas pessoas e negócios, preparamos esse artigo para mostrar o que é a criptografia, como ela funciona e quais seus benefícios.

Confira os tópicos abordados:

  • Criptografia: o que é
  • Como funciona a criptografia?
  • Quais são os tipos de criptografia?
  • Onde se aplica a criptografia?
  • Qual importância e benefícios da criptografia?
  • FAQ - Perguntas Frequentes

Criptografia: o que é

O termo criptografia tem origem no grego, sendo uma junção dos elementos kruptós, que em português significa “secreto” ou “oculto”, e graphía, que quer dizer “escrita”. Assim, podemos dizer que o seu significado literal é “escrita secreta”.

Entretanto, no contexto da segurança digital, a criptografia de dados é definida como o método para proteger dados de forma que assumam um formato codificado. 

Posteriormente, esses dados passaram por uma descriptografia para serem lidos e/ou processados. Desse modo, a criptografia tem quatro objetivos principais:

  • Confidencialidade: somente um destinatário autorizado é capaz de extrair as informações contidas na mensagem cifrada. 
  • Integridade da mensagem: esse mesmo destinatário autorizado é capaz de verificar se a mensagem foi modificada durante a sua transmissão.
  • Autenticidade do remetente: da mesma forma, o remetente poderá ter sua identidade checada pelo destinatário.
  • Irretratabilidade do remetente: uma vez identificado, o remetente não pode negar a autoria da sua mensagem.

Como funciona a criptografia?

Basicamente, a criptografia funciona com o envio de um texto simples (plaintext) em um algoritmo (cifra), que o transforma em texto ilegível e cifrado (ciphertext). 

Só consegue visualizar a mensagem quem tem a chave de descriptografia correta para decodificá-lo.

Veja um exemplo clássico para entender como a criptografia funciona:

Júlio César, imperador romano, utilizava um sistema de códigos baseado nas letras do alfabeto para proteger as mensagens enviadas a seus generais. 

Cada letra era substituída pela letra que estava três posições à sua frente, por exemplo, o “A” era substituído pelo “D”, o “B” pelo “E”, o “C” pelo “F”, e assim sucessivamente. 

O parâmetro de troca, que nesse caso são três, é usado como chave.

Dessa forma, qualquer um que não conhecesse a regra, seria incapaz de compreender a mensagem. 

A esse sistema de codificação foi atribuído o nome de cifra de César, também chamado de cifra de troca, código de César ou troca de César.

Tomando como base o exemplo da cifra de César, o texto simples “Olá” ao ser criptografado se tornaria “ROD”. Essa é uma forma simples de cifra, porém, existem outros tipos e ainda mais complexos.

Quais são os tipos de criptografia?

Os tipos principais de criptografia são: simétrica, assimétrica e hashing. Entenda abaixo as características de cada uma delas:

Criptografia simétrica 

Utiliza de uma mesma chave para criptografar e descriptografar os dados. Assim, cabe ao remetente fornecer a chave ao destinatário antes que ele possa usá-la. 

Seu principal uso é na proteção de dados em repouso - aqueles armazenados em algum lugar, como dispositivo móvel ou servidor externo - porque é necessário ter um canal seguro para transmitir a mensagem.

Seus algoritmos mais comuns são: 

  • Criptografia RC4 (Rivest Cipher 4)
  • Criptografia Twofish
  • Criptografia DES (Data Encryption Standard)
  • Criptografia triplo DES ou 3DES
  • Criptografia AES

Criptografia assimétrica

É considerada a mais segura, uma vez que usa duas chaves: uma pública para criptografar e uma privada para descriptografar os dados. 

Somente o portador da chave privada pode transformar os dados criptografados em texto simples.


Esse tipo de criptografia é aplicada em diversas operações do dia a dia, como assinatura eletrônica do banco, envio de e-mails ou no acesso a um sistema privado.

Seus mais conhecidos algoritmos são:

  • Criptografia RSA (Rivest-Shamir-Adleman)
  • Criptografia CEC (curva elíptica)

Criptografia hash

Consiste em uma metodologia que embaralha os dados de forma irreconhecível e sem o uso de chaves. Além disso, se diferencia dos tipos simétrico e assimétrico pelo fato de não ter sido projetado para ser tornar reversível.

A finalidade principal não é necessariamente ocultar o conteúdo de uma mensagem, mas sim verificar a validade e integridade de arquivos digitais.

Onde se aplica a criptografia?

Em sua essência, a criptografia visa aumentar a segurança de dados sigilosos e informações pessoais, oferecendo ainda mais proteção no ambiente online

Por esse motivo, ela é frequentemente utilizada em projetos que tenham essas características.

Confira abaixo alguns exemplos de aplicações da criptografia:

Comunicação por e-mail

Outlook, Gmail e Yahoo são exemplos de provedores de e-mail que utilizam a criptografia como forma de assegurar que o conteúdo da mensagem fique protegido de indivíduos mal intencionados e que não façam parte da conversa.

Mensageiros instantâneos

WhatsApp, Viber, Facebook Messeger e Silence são alguns dos aplicativos de conversação instantânea que utilizam essa tecnologia de proteção. 

No caso do WhatsApp, em especial, ainda é possível criar uma pasta criptografada no próprio celular.

VPN (Virtual Private Network)

A VPN criptografa o tráfego da Internet de um usuário enquanto oculta o seu endereço IP, o tornando um anônimo online. Desse modo, o tráfego é direcionado por meio de um servidor proxy. 

A proteção de dados da VP é mantida mesmo em redes Wi-Fi públicas. Qualquer usuário que tenha Wi-Fi em casa pode ativar a criptografia e se beneficiar com mais proteção.

Sites

Ao menos sites mais seguros usam o SSL (secure sockets layer), um protocolo de segurança que permite criptografar dados que são enviados de um site a outro. 

Para verificar se um site dispõe desse nível de segurança, basta procurar o ícone de cadeado localizado na barra de URL e o "s" de "https://".

Criptomoedas

Por fim, temos o Bitcoin, o Ethereum, a Litecoin e outras centenas de moedas virtuais que são executadas sob linhas de código criptografadas. 

A blockchain, onde são criadas e transacionadas essas moedas, utiliza criptografia de chave pública para autenticar os usuários envolvidos.

Qual importância e benefícios da criptografia?

 A criptografia é uma alternativa, entre várias outras, para garantir a segurança de dados no ambiente online. Sendo assim, podemos destacar como principais benefícios:

  • Ajuda a manter a integridade dos dados
  • Oferece segurança de backups
  • Gera mais segurança às transações na web
  • Protege os dados entre dispositivos
  • Protege a propriedade intelectual 
  • Colabora com as empresas para cumprir as regulamentações

FAQ - Perguntas Frequentes

O que é criptografia?

A criptografia é definida como o método para proteger dados de forma que assumam um formato codificado. 

O seu principal objetivo é garantir que duas ou mais pessoas troquem informações entre si, de forma secreta, e sem intromissão de terceiros.

Onde se aplica a criptografia?

A criptografia é utilizada em diferentes contextos, seja no âmbito pessoal ou profissional, mas quase sempre está atrelada a projetos empresariais. 

São exemplos de aplicações: provedores de e-mail (Outlook, Gmail, Yahoo, etc.), mensageiros instantâneos (WhatsApp, Viber, Facebook Messenger, etc.), VPN (Virtual Private Network) e criptomoedas.

Quais são os tipos de criptografia?

Os tipos principais de criptografia são: simétrica, assimétrica e hashing.

Qual o tipo de criptografia mais segura?

Dentre os principais tipos de criptografia, a assimétrica é considerada a mais segura, pelo fato de utilizar uma chave pública para criptografar e outra privada para descriptografar os dados.

122268308_1001105267030152_928890732363036411_n.jpg

Tatyana Oliveira

Admiradora do mundo de tecnologia, metaverso e criptomoedas. Empreendedora digital, atualmente atua como gerente de conteúdo no Disruptive Verse e em outros projetos.

Posts recentes

Outras postagens

Logo DisruptiveVerse
Blog
ExchangeBlockchainNFTMetaversoRealidade virtualRealidade aumentada
Sobre

DisruptiveVerse.com é um site de conteúdos e notícias voltado para tudo que é disruptivo e inovador. Somos independentes de instituições financeiras ou qualquer outra empresa e ganhamos dinheiro quando você clica em um link ou algum anúncio postado nesse site.Não recomendamos ou indicamos a compra de nenhum produto, serviço, ativo financeiro, criptomoedas ou qualquer outra coisa. "Não nos responsabilizamos por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes."

© 2022 Disruptive Verse. Todos os direitos reservados.